jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2020
    Adicione tópicos

    IBDFAM promove lives no Instagram para debater os dilemas que a pandemia traz para o Direito das Famílias e das Sucessões

    O Instituto Brasileiro de Direito de Família - IBDFAM lança, nesta quinta-feira, 2 de abril, às 18h, um projeto que traz uma série de lives que serão realizadas por meio do perfil oficial do Instituto no Instagram. Nos debates ao vivo, serão abordados diversos assuntos que relacionam o isolamento proporcionado pela pandemia do coronavírus ao Direito das Famílias e das Sucessões.

    As lives acontecerão duas vezes por semana, às segundas e quinta-feiras, com duração de cerca de 50 minutos de debate entre um âncora e um convidado especialista sobre o assunto pautado para o dia.

    A primeira transmissão vai contar com a participação de Maria Berenice Dias, vice-presidente nacional do IBDFAM, e do âncora João Aguirre, presidente da Comissão de Ensino Jurídico de Família do Instituto. O assunto em questão, da qual todos poderão acompanhar pela rede social nesta quinta-feira, dia 2, às 18h, será “Os alimentos e os seus percalços”.

    Outra transmissão ao vivo já confirmada será realizada na segunda-feira, dia 6 de março, com a presença do âncora João Aguirre e de José Fernando Simão, diretor nacional do IBDFAM. Eles vão abordar o tema “Família e Sucessões nos tempos da pandemia”, às 19h.

    De acordo com João Aguirre, o intuito da iniciativa é fazer com que as pessoas continuem a discutir o Direito das Famílias e das Sucessões em tempos de pandemia e confinamento.

    “Precisamos enfrentar os obstáculos que nos têm sido trazidos por essa verdadeira revolução que foi criada pelo Covid-19, deixando bem claro que o Direito das Famílias e das Sucessões e os seus reflexos também não param, por isso o IBDFAM continuará ativo”, destaca.

    O professor e advogado detalha que existem várias questões que afetam o Direito das Famílias e das Sucessões que decorrem do confinamento obrigatório em razão da pandemia. Desde exercer efetivamente a guarda e manter a convivência com os filhos menores de 18 anos, a questões relacionadas ao pagamento de pensões, uma vez que as pessoas não estão conseguindo ter suas receitas integrais em razão do coronavírus.

    “Se as pessoas estão confinadas, como promover essa revisão de pensão nesse período em que as receitas vão ser mais escassas? Também existem as questões relacionadas a prisão civil do devedor de alimentos, há decisões dos tribunais determinando que sejam feitas através da prisão domiciliar. Questões relacionadas à testamento nesse momento, questões relacionadas à sucessões. Enfim, inúmeras questões que vão sofrer reflexos diretos e imediatos desse confinamento e da pandemia”, explica.

    Mais lives

    As seções regionais do IBDFAM também estão se movimentando pelas redes sociais para trazer debates sobre a Covid-19. Acesse esse post para ver quais lives já foram confirmadas e fique de olho no nosso perfil no Instagram para mais informações sobre as novidades.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)